Política de publicações da Sociedade Hegel Brasileira

        A Sociedade Hegel Brasileira – SHB – assumiu, desde a sua criação, em 2001, o compromisso de publicar contribuições relevantes para o desenvolvimento das pesquisas sobre Hegel entre os lusófonos; esse compromisso se materializou com a fundação da Revista Eletrônica Estudos Hegelianos – REH – em dezembro de 2004. Também tem sido uma preocupação importante das diferentes gestões da SHB a publicação das obras de Hegel e de comentários às mesmas; o que até o momento se mostrou sob a forma de apoio às iniciativas individuais de tradução dos textos hegelianos e sob a forma de edição de obras coletivas sobre aspectos da filosofia de Hegel ou de seus estudiosos no Brasil. Somado a isso, a SHB ainda publica desde 2004 o site Hegelbrasil.org, cuja intenção principal é a de constituir-se como uma referência para o diálogo entre os hegelianos do Brasil e do exterior.
Apesar das dificuldades que em diferentes momentos implicaram atrasos e certo retrocesso no desenvolvimento de uma política de publicações consistente, o saldo até aqui parece bastante positivo. De dezembro de 2007 a junho de 2012, a REH publicou até o momento 17 números, ainda foram publicadas três obras coletivas resultantes de eventos realizados pela Sociedade, a saber: MORAES, A. (Org.) – A Razão nos trópicos, Recife: FASA, 2004; UTZ, K.; SOARES, M. C. (Orgs.) – A noiva do espírito: natureza em Hegel. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010 (disponível online: http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/naturezaemhegel.pdf) e, enfim, GONÇALVES, M. C. F. (Org.) – O pensamento puro ainda vive. 200 anos da Ciência da Lógica de Hegel. São Paulo: Barcarola, 2013.
No momento a SHB procura reformular sua política de publicações, de um lado ampliando o escopo na REH e de outro incentivando traduções dos textos de Hegel ou estudos em profundidade sobre o pensamento hegeliano e o sistema de Hegel. Se você tem algum estudo sobre Hegel ou se projeta algum tipo de trabalho com traduções, informe-nos sobre seu interesse. É fundamental verter em Língua portuguesa os textos essenciais do Idealismo especulativo, assim como, se a ocasião se apresenta, reconsiderar algumas das traduções já realizadas. A lista ainda é muito exígua, cumpre aumenta-la:

Eis os textos já publicados em Português brasileiro:

As órbitas dos planetas Trad. Paulo Meneses e Danilo Vaz-Curado R. M. Costa, 2012;

Ciência da Lógica (Excertos) Trad. Marco Aurélio Werle, 2011;

Filosofia do Direito Trad. Paulo Meneses (Coord.), 2010;

Fé e Saber Trad. Oliver Tolle, 2007;

Sobre as maneiras científicas de tratar o Direito natural Trad. Agemir Bavaresco e Sérgio Christino, 2007;

Cursos de Estética Trad. Marco Aurélio Werle, 1999, 2001 (reimpressa várias vezes);

Como o senso comum compreende a Filosofia Trad. Eloisa Araújo Ribeiro, 1995;

Enciclopédia das Ciências Filosóficas em Compêndio (1830) Trad. Paulo Meneses, 1995 (reimpressa várias vezes);

Fenomenologia do Espírito Trad. Paulo Meneses, 1992, 2002 (reimpressa várias vezes);